Revista Pós-Venda
NotíciasPneusBridgestone Driveguard generaliza segurança e conforto
Bridgestone Driveguard

Bridgestone Driveguard generaliza segurança e conforto

por

A tecnologia DriveGuard é a solução apresentada pela Bridgestone para disponibilizar aos carros mais vendidos a tecnologia que permite que nenhum furo obrigue a parar o carro para trocar pneu. Já está disponível em Portugal.

{ TEXTO CLÁUDIO DELICADO, NO MÓNACO }

DriveGuard é o nome do novo pneu lançado pela Bridgestone. Mais do que revolucionária, esta é uma tecnologia que democratiza a segurança e o conforto até aqui disponíveis apenas para os carros topo de gama, com os pneus runflat. Face a estes, a Bridgestone acrescentou alguma tecnologia com um único objetivo: garantir que qualquer furo ou dano no pneu não obrigue o condutor a parar, permitindo circular cerca de 80 km a uma velocidade máxima de 80 km/h. A Revista PÓS-VENDA esteve no lançamento internacional e comprovou a eficácia da tecnologia, lançada originalmente nos Estados Unidos e que chegou a Portugal em março. Disponível apenas no mercado de reposição, só obriga a que os carros tenham o sistema TPMS.

A proposta da Bridgestone parece simples, olhando para a tecnologia runflat que já existe, mas agora vai mais além e por um preço mais competitivo. O que a marca japonesa propõe é a resposta a praticamente todos os tipos de danos que um pneu pode sofrer durante a condução (incluindo nas paredes laterais e piso de rodagem), distinta de todas as outras soluções existentes (por exemplo, o selante, que foi analisado mas a conclusão a que a Bridgestone chegou é que não dá a resposta desejada).

 

BDG_025

 

A tecnologia DriveGuard tem um design patenteado com canais de arrefecimento e reforço das paredes laterais, que permitem que os condutores mantenham o controlo e continuem a conduzir com segurança e conforto após um furo e até que possam reparar ou substituir o pneu em segurança, proporcionando assim tranquilidade adicional perante eventuais danos que possam ocorrer nos pneus durante a condução. Por tudo isto, democratização é a palavra-chave no lançamento do novo pneu DriveGuard. Isto porque não está limitado a equipar os modelos de fábrica em marcas específicas ou modelos de automóveis e pode equipar quase todos os tipos de automóveis com Sistema de Monitorização da Pressão dos Pneus (TPMS), obrigatório na Europa em automóveis novos desde Novembro de 2014. Ou seja, sublinha a marca, existe um mercado potencial de 32 milhões de veículos com a possibilidade de serem equipados com o novo Bridgestone DriveGuard em 2016, número que aumentará exponencialmente nos próximos anos.

Em termos de desempenho, ostenta na obrigatória etiqueta classificação “A” para performance em piso molhado e “C” para resistência ao rolamento. Outra vantagem apontada pela Bridgestone é o facto do DriveGuard eliminar a necessidade de transportar um pneu suplente, reduzindo o peso no automóvel. Este pneu é totalmente reciclável através do circuito tradicional de reciclagem. Nesta fase, o Driveguard não será fornecido em primeiro equipamento por nenhum construtor automóvel e vai estar apenas em mercado de reposição. No futuro, poderá ser também equipamento original caso as marca mostrem interesse.

O Bridgestone DriveGuard estará disponível na Europa em 19 medidas para pneus de Verão e 11 para pneus de Inverno – a partir de 185/65 R15 até a 245/40 R18. As diferentes medidas de pneus chegarão aos mercados em duas vagas diferentes.

 

BDG_079

 

ESTRATÉGIA PARA PROFISSIONAIS

O novo pneu chegou ao mercado em Março. A Bridgestone fez um roadshow em Lisboa e Porto para mostrar o novo pneu e explicar aos profissionais a mais-valia, ajudando-os a conhecer bem o pneu e a ter argumentos para vendê-lo aos clientes. Em cima do lançamento houve uma ação destinada ao consumidor final, que vai poder experimentar as potencialidades da tecnologia DriveGuard. Até porque, “em 76% das vendas o profissional dos pneus tem um papel muito importante e é o prescritor que está entre nós e o consumidor final. É fundamental que conheça verdadeiramente o produto que vende”, explica André Bettencourt, diretor de marketing da Bridgestone Portugal. Por isso, durante a apresentação aos profissionais, será um formador estrangeiro da Bridgestone a explicar as características do novo pneu. “Vamos ajudar os nossos clientes profissionais a terem argumentos para vender este pneu”, explica André Bettencourt.

A marca japonesa quer dar todos os argumentos de venda e, por isso, mesmo para carros que ainda não tenham TPMS (obrigatório para poder montar estes pneus) “vamos proporcionar aos nossos clientes uma parceria com uma empresa que comercializa e distribui sistemas de TPMS em pós-venda. Os nossos clientes poderão adquirir esse sistema por um preço mais convidativo para que o possam apresentar como solução ao consumidor final quando os automóveis não tem a solução de TPMS instalada. Vai estar nos nossos retalhistas mas, numa primeira fase, na rede First Stop. Para o consumidor final, vamos permitir que depois de adquirir quatro pneus DriveGuard, porque a eficácia e a vantagem aqui passa por ter os quatro, se inscreva na nossa plataforma online, insira o comprovativo da compra, e vamos dar-lhe um vale com um valor em cashback. Também a quem compre o sistema TPMS em pós-venda vamos devolver parte do dinheiro dessa aquisição”, antecipa o responsável da Bridgestone. Em relação ao Turanza T001, “os consumidores europeus que nos ajudaram no desenvolvimento não se importavam de pagar até 20% mais por esta tecnologia, mas nós vamos pedir apenas 11% mais. Vamos oferecer os três níveis: um pneu standard, um DriveGuard e um runflat. No futuro, a ideia é deixar de ter que deixar de produzir e comercializar pneus convencionais, generalizando-se a tecnologia DriveGuard”, antevê André Bettencourt. O target deste pneu aponta para um público feminino mas, essencialmente, é para quem zela pela segurança da família e não quer car parado na estrada.

AO VOLANTE – NÃO FAÇA ISTO EM CASA

A experiência não é a mais normal. Chegar ao carro para experimentar um novo pneu e ter alguém a espetar um prego na banda lateral do pneu dianteiro. Passam-nos a chave e convidam-nos a fazer um percurso de cerca de 30 km com um razoável buraco no pneu e com pressão zero. Em manobras nota-se a direção um pouco mais pesada e o que mais se percebe é, sem dúvida, o ruído diferente do rolamento do pneu. Mas em termos de condução é impressionante o controlo que se mantém na direção e até a precisão com que se fazem as curvas, o que pode ser comprovado num percurso de estrada de serra. Abusámos em alguns pontos do percurso e o pneu nunca perdeu a compostura. Percebe-se que seja obrigatório que o carro tenha TPMS porque os condutores mais distraídos podem não perceber que têm um pneu furado. Até ver, acabaram-se as paragens na berma (quando esta existe) para trocar um pneu furado.

 

entrevistaEntrevista Jérôme Boulet, Diretor de Marketing da Bridgestone

“TUDO SE RESUME A MANTER O CONTROLO”

Qual é a grande inovação do DriveGuard?
Estamos a trazer um pneu runflat com um forte upgrade tecnológico com uma função de arrefecimento do pneu muito importante quando este perde a pressão. A tecnologia base é a do pneu runflat, mas não é um runflat convencional. Mas a grande diferença e que altera tudo neste setor é que este é um pneu desenvolvido para os segmentos B, C, D e E. Não é um pneu para supercarros, mas sim um pneu de conforto para os carros mais vendidos. É baseado no Turanza T001, mas tem mais tecnologia.

Como foi desenvolvido o plano de testes deste novo pneu?
Houve uma bateria enorme de testes, para simular todas as situações comuns na estrada. Juntámos também os testes que já tínhamos feito para a BMW e para os pneus runflat que temos para a marca alemã e chegámos a este pneu que está preparado para garantir a segurança e o controlo em todas as situações de danos no pneu. No final de contas, tudo se resume a manter o controlo do carro numa situação de furo.

Este é o futuro dos pneus da Bridgestone?
Esta é uma tecnologia que pode ser alargada a outras gamas e a outro tipo de pneus mas, neste momento, temos esta oferta inicial. Vamos depois expandir para o segmento dos SUV e também para os grandes sedan. De momento a gama termina na jante 18’’, mas será alargada até à jante 20’’. No futuro, o DriveGuard pode ser a a solução standard para a maioria dos carros.

O preço a pagar pelo consumidor é muito mais elevado?
Para o consumidor final esta tecnologia não é muito mais cara. Posicionamos este pneu ao mesmo nível de preço que os fabricantes concorrentes posicionam o seu pneu convencional. Por exemplo, ao nível de um Michelin Primacy 3 que não tem esta tecnologia nem esta solução de mobilidade. Este pneu terá um preço 11% acima do Turanza T001 e abaixo do runflat. Este pneu foi lançado originalmente nos Estados Unidos e tem sido um sucesso. Nenhuma marca da concorrência está pronta para lançar uma tecnologia semelhante. Cor- remos o sério risco de sermos bem sucedidos.

E não há o risco de canibalização do Turanza no mercado?
Nos Estados Unidos não vemos canibalização, vemos dois tipos de clientes. Temos os condutores de rufnlat a mudar para DriveGuard por causa do conforto e do preço mais barato, mantendo a solução de mobilidade de um runflat, e o condutor que compra Turanza mantém-se. O mais importante para nós é reter os clientes e que eles voltem a comprar Bridgestone. Este pneu vem responder a uma necessidade dos condutores em termos de segurança e também de conforto.

 

ProductShots_ReinforcedSidewall

COMO FUNCIONA O DRIVEGUARD?

• Uma parede lateral otimizada e reforçada que suporta o peso do veículo em caso de perda súbita de pressão do pneu. Permite ao condutor manter o controlo do carro e continuar a conduzir em segurança durante 80 km até ao limite de 80km/h;

  • Mobilidade a baixa pressão, devido a:

• Carcaça e telas do pneu em poliéster que oferecem uma elevada resistência à geração de calor, aumentando a durabilidade do pneu;

• Nano Pro-Tech, um componente que reduz a fricção entre moléculas de carbono, através da redução da geração de calor nas paredes laterais, ajudando o pneu a manter a sua forma;

• Design high-tech dos canais de arrefecimento nas paredes laterais que canalizam o aquecimento em direção ao aro, ajudando desta forma a preservar o pneu, melhorando a segurança e a durabilidade;

– Melhor controlo em piso molhado, devido a:

• Elevada performance em condições de aquaplanagem: piso do pneu com rasgos que permitem otimizar a distribuição de vácuo na parte central do padrão do piso;

• Comportamento otimizado em curva: Ligação dos flancos do pneu ao piso, permitindo a distribuição otimizada da pressão do pneu;

• Distância de travagem reduzida: com- posto com elevado índice de sílica e tecnologia nano pro-tech;

– Conforto, devido a:

• Novo desenho da estrutura da coroa, permitindo uma melhoria na absorção das irregularidades das estradas;

• Borracha otimizada e reforçada com medidor integrado;

• Construção mais leve;

• Nível de conforto otimizado em todas as medidas de pneu;

• Melhoria da resistência à deformação, proporcionando maior conforto quando comparado com pneus standard.

 

CONTACTOS

BRIDGESTONE PORTUGAL
DIRETOR DE MARKETING: ADNRÉ BETTENCOURT
212 307 350
www.bridgestone.pt




Artigo publicado na edição de fevereiro da PÓS-VENDA.

Pós-Venda 5

Mais artigos da Revista PÓS-VENDA n.º5 aqui.

Nº de visitas: 158 ~ Visto Hoje: 1

Deixe uma resposta

Contactos

Miraflores Office Center - Rua Santa Teresa do Menino Jesus, nº 6, Escritório 7ºE. 1495 - 048 Miraflores

+351 21 806 89 49

geral@posvenda.pt

siga-nos

Calendário de eventos

Voltar para Topo