Ver todas

Back

APDCA quer avançar com a certificação dos veículos usados

27 Janeiro, 2018
1157 Visualizações

Na I Convenção da Associação do Comércio Automóvel de Portugal (APDCA), marcada para o próximo dia 27 de janeiro, a partir das 14h30, no Centro de Exposições de Santarém, vai ser lançado um portal automóvel de compra/venda de usados, como vai ser anunciada a certificação quer das empresas que operam no setor quer dos veículos por elas comercializados. Esses são os pontos essenciais da agenda de trabalho para este evento.

Fundada em Março de 2017 e a caminho de alcançar as duas centenas de associados, a APDCA, que já conta na sua estrutura com algumas das empresas de referência a operar no comércio de usados em Portugal, aposta no desenho de soluções para uma resposta eficaz aos desafios do futuro.

“Não havia em Portugal uma associação que representasse de forma exclusiva o setor do comércio de automóveis usados, daí sentirmos a necessidade de avançar com a APDCA, tanto mais que ainda não existe uma regulamentação específica de certificação de atividade e ela é, quanto a nós, essencial. No imobiliário, por exemplo, exige-se uma licença para operar no mercado. O nosso setor deveria ter legislação idêntica para quem pretender abrir uma empresa de compra e venda de veículos usados, porque todos ficaríamos a ganhar, quer empresários quer clientes”, confessa Vítor Gouveia, presidente da APDCA, que acentua a necessidade, em nome da transparência, de avançar com outra proposta já delineada:

“Em breve, a APDCA avançará com o lançamento de um portal automóvel de compra e venda que pretende ser o espelho da transparência de quem está no mercado para prestar um serviço certificado com garantia de qualidade. Nos últimos tempos surgiram no setor várias iniciativas tecnológicas que em nada abonam em termos de transparência e de segurança para o cliente final. O novo portal da nossa Associação vai permitir que a compra e venda de veículos usados se processe não só com rapidez mas também com a maior segurança para todas as partes envolvidas. Tanto os empresários como os compradores só têm a ganhar com isso e o mercado dos usados precisa de ser credibilizado”.

A ganhar músculo, em termos de representatividade, no setor automóvel dos veículos usados, a APDCA está consciente, como sublinha o seu presidente da Assembleia Geral, que este crescimento lhe vai permitir, a médio prazo, ser um interlocutor com voz ativa junto da Tutela para uma melhor e mais eficaz regulação desta área de atividade:

“A Direção da APDCA desenvolveu um trabalho notável neste curto espaço de tempo, assim se explicando a enorme adesão de associados, porque os empresários do setor já perceberam as vantagens de estarem filiados na nossa Associação, face às grandes mudanças que se avizinham no setor. E não tenho dúvidas que vamos continuar a crescer, porque o comércio de automóveis usados necessita não só de ser regulado, mas também de alterações legislativas e a APDCA está a preparar um conjunto de medidas que em breve serão apresentadas ao Governo”, disse Isaque Guimarães.

PALAVRAS-CHAVE