Ver todas

Back

“Corremos o risco de repor stock a um preço mais elevado que o valor pelo qual a peça foi vendida”, Paulo Pimentel Torres, Vieira & Freitas

22 Agosto, 2022
448 Visualizações

Também na área das peças elétricas o efeito da inflação é notório no aftermarket. Paulo Pimentel Torres, gerente da Vieira & Freitas, refere que a inflação tem um efeito perigoso na gestão financeira do nosso negócio.

Que efeito está a ter neste momento a inflação no negócio de peças auto (incluindo lubrificantes)?
A Inflação (perto ou mesmo acima de dois dígitos) tem um efeito perigoso na gestão financeira do nosso negócio, corremos o risco de repor stock a um preço mais elevado que o valor pelo qual a peça foi vendida, originando assim um decréscimo das disponibilidades financeiras da empresa. O investimento para o mesmo stock passa a ser bem maior. Embora não venda Lubrificantes, penso que nesta gama o efeito será ainda maior, pois os preços subiram muito e as margens são baixas.

A médio prazo qual poderá ser o impacto da taxa de inflação muito alto no mercado?
A taxa de inflação muito alta será muito prejudicial para o poder de compra da população e consequente aumento das dificuldades das famílias originando assim um decréscimo em kms percorridos pelo parque automóvel circulante.

Que medidas está a dinamizar para combater esta subida inflacionada nos preços das peças?
As medidas a tomar não estão propriamente ao nosso alcance pois é um problema macroeconómico, resta não dar orçamentos com prazos de validade longos, nem assumir compromissos com tabelas de preço a longo prazo.

PALAVRAS-CHAVE