Ver todas

Back

Liqui Moly a caminho de um ano recorde

21 Dezembro, 2016
1260 Visualizações

Novembro foi o mês de maior sucesso da história da Liqui Moly e a um mês de fechar o ano, já foi ultrapassado o volume de negócios do ano anterior.

O fabricante alemão de óleo para motores e aditivos Liqui Moly fechou o mês de novembro com o maior volume de negócios mensal da história da empresa. Foram gerados 45,5 milhões de euros no mês passado. Com um volume de negócios de 453 milhões de euros nos primeiros onze meses, a marca alemã já ultrapassou nitidamente o volume de negócios do ano anterior.

Este resultado inscreve-se no panorama de um ano 2016 extremamente bem sucedido. Já os meses de março e abril tinham registado novos recordes mensais, tendo o mês novembro estabelecido, pela terceira vez este ano, um novo recorde em termos de volume de negócios. Os 45,5 milhões de euros implicam um acréscimo de 20 por cento em relação ao mês de novembro do ano anterior. O atual volume de negócios anual de 453 milhões de euros é dez por cento superior ao período homólogo do ano anterior, ultrapassando já o volume de negócios de todo o ano de 2015.

Ernst Prost“O sucesso e o falhanço não dependem só da sorte ou do azar, sendo sim uma questão de atitude das pessoas. A capacidade para trabalhar em equipa e alcançar um objetivo é importante. A prova disso é o mês de novembro e os meses anteriores”, afirmou o diretor da Liqui Moly, Ernst Prost. “Desde janeiro que todos os 800 colaboradores da empresa estão a dar o litro. E apesar da elevada pressão, ainda conseguiram acelerar o ritmo na reta final do ano”, relata Ernst Prost. “A empresa cresce e prospera de forma notável.”

Isto tem também repercussões no número de colaboradores. Nas várias filiais na Alemanha foram criados quase 50 novos postos de trabalho. Nos Estados Unidos, a equipa quase que duplicou durante este ano. E na Rússia, o maior mercado em termos de exportação, o volume de negócios manteve-se estável apesar da crise ucraniana e da forte queda do Rublo. Apesar do Brexit, a Grã Bretanha também regista um crescimento. Também aí foram contratados novos colaboradores.

Segundo Prost, outro motivo para o êxito é a diversificação da gama de produtos para além da área automóvel. As áreas de negócios vizinhas foram sistematicamente ocupadas. Assim, há cerca de dois anos, a gama de produtos para motos foi fortemente ampliada, tendo sido lançada este ano a gama de produtos para a marinha. Há uma diversidade de novos produtos para máquinas de construção e, até, gamas de produtos próprias para Oldtimer e aeronaves. O motivo pelo qual esta transferência de conhecimentos funciona tão bem é o facto de os requisitos técnicos de base serem muito semelhantes: motores de combustão, lubrificação, remoção de depósitos, conservação e proteção contra o desgaste.

Segundo Ernst Prost, “Acabamos por ter também muita sorte com o nosso modelo de negócios. Os motores de combustão existem em todo o mundo e todos eles têm de ser lubrificados. O parque automóvel de ligeiros e pesados continua a crescer sem limitações. Não admira que consigamos fazer negócio em todo o mundo. Mas o facto que, seguramente, também é uma sorte para nós é virmos do país dos fabricantes automóveis. Permite reforçar ainda mais a reputação positiva da nossa marca, o “Made in Germany”. Resta-nos “apenas” garantir que, em todo mundo, não sejam usados óleos da Shell, BP ou Castrol nos motores, mas sim óleos da Liqui Moly”, acrescenta.

 

 

Mais informações em www.liqui-moly.pt

 

PALAVRAS-CHAVE