Ver todas

Back

“Um dos pontos fortes da Bosch é o elevado investimento em I&D”, Bosch, Eva Raquel Hernández

30 Setembro, 2021
326 Visualizações

A Bosch pretende ter um papel importante na obtenção de um transporte neutro para o clima para todos os tipos de veículos. Em entrevista à PÓS-VENDA PESADOS, Eva Raquel Hernández explica os detalhes desta estratégia.

Como perspetivam o futuro do negócio de aftermarket ao nível das peças para veículos pesados?

Se há algo que distingue a Bosch Automotive Aftermarket é o seu foco 360. Os veículos industriais mais relevantes no parque automóvel espanhol e europeu estão equipados com peças e sistemas Bosch, e dispomos do cruzamento com as referências do equipamento de origem para conseguirmos identificar de forma rápida e fiável. Camiões, autocarros, veículos para a agricultura e construção, aquando da sua reparação e manutenção dispõem nas oficinas, passando pela distribuição, das nossas peças novas ou de reposição, assim como de equipamentos oficinas e serviços como formação e assistência técnica. O mercado global evolui, mas esse foco permanece na nossa estratégia. O transporte de mercadorias aumenta, entre outros fatores, devido ao crescimento do comércio eletrónico e, por consequência, o tráfego de veículos pesados. Preparam-se mudanças para responder à agenda de desenvolvimento sustentável 2030, também à melhoria da eficiência do transporte com sistemas de diagnóstico preditivo que otimizam a manutenção dos veículos, etc. E a Bosch faz parte dessa mudança e, na medida do possível, procura antecipar-se no fornecimento de soluções neste segmento.

Que investimentos tem feito a vossa marca para se preparar para as necessidades das futuras gerações de veículos pesados?

Um dos pontos fortes da Bosch é o elevado investimento em I&D, que lhe permite desenvolver os produtos necessários hoje para melhorar a vida das pessoas no futuro. A divisão Bosch Automotive Aftermarket tem um grande peso nos negócios globais da Bosch e muitas das nossas inovações estão focadas em antecipar essa procura, por exemplo, em termos de redução de emissões, peças adaptadas a novos sistemas de propulsão em veículos pesados e também serviços para a oficina, tais como cursos de formação, em particular na área de gestão do motor podem incorporar informações sobre veículos a gás. As soluções da Bosch, no que se refere à propulsão de veículos de transporte, foram desenvolvidas para reduzir as emissões, alcançando eficiência e sustentabilidade. Um exemplo disso é a colaboração com Nikola, fabricante de
camiões elétricos. Como os camiões como o Nikola Two pesam cerca de 40 toneladas, operá-los apenas com bateria não seria eficiente. Não haveria potência suficiente com peso e volume razoáveis e o alcance seria muito baixo. Isso levou a Bosch e a Nikola Motor Company a desenvolver um sistema de propulsão de célula de combustível para camiões. Numa célula de combustível, o hidrogénio e o oxigénio combinam-se. A reação química resultante converte o hidrogénio em eletricidade. Essa energia flui para o sistema elétrico de alta tensão do camião, que é conectado aos motores elétricos e à bateria. Desta forma, a célula de combustível fornece energia diretamente para o motor de força, enquanto recarrega a bateria. Em vez de dióxido de carbono e fuligem, o único resíduo emitido pelo tubo de escape do camião com célula de combustível é água.

Que impacto terá no vosso negócio de peças aftermarket o aumento de veículos pesados elétricos?

A Bosch está hoje a trabalhar no desenvolvimento dos veículos do futuro, e independentemente da sua forma de propulsão, desde as mais comuns como a gasolina e o diesel, até às mais recentes como eletricidade, gás, sistemas híbridos, etc. Por enquanto, os motores a diesel continuam a prevalecer no mercado, e por outro lado estão a tornar-se cada vez mais eficientes, e cujo mercado continuará a crescer a bom ritmo nos próximos anos. A tecnologia diesel está a desenvolver-se mais rápido do que nunca. Os motores estão a tornar-se mais complexos e eficientes, razão pela qual a necessidade de oficinas especializadas em diesel tem vindo a aumentar. Com 3.900 oficinas em todo o mundo, a nossa rede global de especialistas em diesel tornou-se a primeira escolha para serviços profissionais em motores a diesel. A eletrificação de veículos comerciais pesados virá da mão do hidrogénio, especificamente da propulsão por célula de combustível, embora o seu desenvolvimento ainda seja lento e a tecnologia diesel continue a predominar nos próximos anos.

Que desafios e oportunidades trazem à vossa marca estas novas formas de propulsão?

Para responder aos requisitos da UE, as emissões de CO2 devem ser drasticamente reduzidas até 2030. Isso vale tanto para veículos comerciais ligeiros como para veículos pesados. Nesse sentido, a Bosch quer desempenhar um papel importante na obtenção de um transporte neutro para o clima para todos os tipos de veículos. Portanto, a empresa está a desenvolver uma gama completa de motores de força eficientes, incluindo modelos elétricos a bateria e células de combustível. Para cada tipo de transporte e combustível, a Bosch oferece uma solução. Na tecnologia de propulsão, a eletromobilidade está a consolidar-se como um dos principais negócios da Bosch, com a empresa a assumir-se como um líder mundial nesta tecnologia. Por sua vez, a Bosch está também a concentrar-se no hidrogénio. A Bosch espera que o mercado de componentes de célula de combustível móvel gere cerca de 18 mil milhões de euros até o final da década e tem vindo a fazer investimentos iniciais significativos nesta área para alcançar uma posição de liderança também no futuro. Para cumprir os valores de limitação de emissões, é necessário um sistema de tratamento de gases de escape para a atual frota de camiões, bem como uma combustão o mais limpa e eficaz possível. O sistema Denoxtronic da Bosch, por exemplo, reduz de forma muito eficiente as emissões de óxido de nitrogénio de motores a diesel de veículos comerciais, em combinação com um conversor catalítico SRC (Redução Catalítica Seletiva), que os converte em água e nitrogénio. Utilizando essa tecnologia, os veículos comerciais podem também responder aos padrões de emissão da UE.

Quais as mais recentes novidades que lançaram ao nível das peças para veículos pesados?

Avaliamos continuamente os principais veículos que circulam pela Europa, de modo a disponibilizar às oficinas soluções para reparação e manutenção de camiões em todas as nossas gamas de produto. Durante 2021, foram lançadas extensões de referências em filtros e motores de arranque e alternadores e continuaremos a fazê-lo. Uma novidade que não devemos negligenciar são as baterias AGM, a bateria para veículos comerciais mais potente da linha da Bosch com tecnologia AGM e PowerFrame patenteado (grid) – sistemas start/stop de suporte, e especialmente projetada para funções avançadas de hotelaria com refrigeração/aquecimento de estacionamento, fornecendo energia de forma fiável para veículos comerciais com a elevada necessidade elétrica que exige o tráfego de longa distância, até mesmo para longos períodos na estrada ou com baixo nível de carga.

Artigo publicado na Revista Pós-Venda Pesados n.º 34 de junho/julho de 2021. Consulte aqui a edição.

PALAVRAS-CHAVE