Ver todas

Back

CLEPA debate sustentabilidade na cadeia de valor do aftermarket

3 Dezembro, 2021
320 Visualizações

A 12.ª edição da CLEPA Aftermarket Conference foi dedicada aos aspectos da sustentabilidade na cadeia de valor do aftermarket.

A audiência, que incluiu representantes de fornecedores de automóveis, distribuidores grossistas e associações, recebeu da Comissão Europeia o mais recente estatuto sobre legislação relevante para o mercado pós-venda relacionada com Informação sobre Reparação e Manutenção (RMI) e com o Regulamento de Isenção por Categoria de Veículos Automóveis (MVBER) que está actualmente a ser revisto. A CLEPA apoia um sólido quadro legislativo que assegura que os fornecedores não estão técnica nem contratualmente limitados na venda de peças sobressalentes ao mercado de reposição independente e garante uma escolha livre para os consumidores sobre onde obter reparação e manutenção dos veículos.

Com um valor total de 4,7 mil milhões de euros de peças sobressalentes remanufacturadas vendidas pelos fornecedores em 2020, o mercado pós-venda automóvel já está a contribuir substancialmente para os objectivos de economia circular propostos pela Comissão Europeia no seu Green Deal. A CLEPA, juntamente com a consultoria Oakdene Hollins, publicou recentemente um estudo sobre a contribuição do automóvel para os objectivos da economia circular, onde os resultados estimam que foram evitadas mais de 800 kt CO2 em 2020, uma quantidade igual às emissões anuais de carbono de 120.000 cidadãos da UE. O estudo incluiu uma abordagem sectorial para qualificar o impacto do CO2. Calculou as emissões evitadas, considerando o material retido durante o processo de refabricação.

Outros tópicos discutidos incluíram os novos grupos electrificados, a actual escassez de matérias-primas e semicondutores, bem como o aumento dos custos dos materiais. A este respeito, a refabricação e reparação industrial de componentes electrónicos ganhará ainda mais relevância para a reparação e manutenção de veículos. Os representantes da indústria apresentaram a sua visão sobre uma abordagem de economia circular, apresentando exemplos de melhores práticas.

Os fornecedores e distribuidores do sector automóvel estão a trabalhar em conjunto na transformação do mercado pós-venda num negócio sustentável de reparação e manutenção. Seguindo a visão de uma indústria automóvel descarbonizada até 2050, tal como estabelecido pelo World Business Council of Sustainable Development (WBCSD), os fornecedores e distribuidores de peças sobressalentes estão empenhados em definir um critério de sustentabilidade no mercado pós-venda, com propostas sobre um esquema de classificação e revisões anuais de desempenho. Os fornecedores e distribuidores estão convencidos de que um aftermarket sustentável é um pré-requisito, mas muito mais será necessário para atrair os futuros talentos para o sector, tal como apresentado através do exemplo do programa Talents4IAM, que se dedica a apoiar a disponibilidade de uma mão-de-obra qualificada no sector.

Foi debatida ainda que o mercado pós-venda é uma parte essencial da indústria automóvel e um contributo importante para os objectivos de sustentabilidade, mas estes precisam de ser complementados com um quadro regulamentar justo e estável que apoie uma escolha aberta para os consumidores quando se trata da utilização e manutenção dos seus veículos.

PALAVRAS-CHAVE