Ver todas

Back

“É um fenómeno (as devoluções) com variações diárias, semanais e mensais”, Tiago Domingos, Auto Delta

23 Setembro, 2022
462 Visualizações

Reconhecendo que a questão das devoluções é um problema no aftermarket, Tiago Domingos, do Marketing da Auto Delta, afirma que melhores ferramentas de identificação de peças, aliado à consciencialização de todos, são passos importantes para reduzir este problema.

Qual a dimensão do problema da devolução de peças no aftermarket para a vossa organização? Pode quantificar a dimensão desse problema?
Sem entrar numa quantificação objectiva, pois este é um fenómeno com variações diárias, semanais e mensais, podemos afirmar seguramente que o problema da devolução de peças no aftermarket é muito importante, não só para a Auto Delta, mas para todas as organizações que se encontram neste mercado.

Quais as razões que levam a que as devoluções de peças seja um problema para as empresas de peças?
Os principais fatores que tornam as devoluções num problema são a sua dimensão e periodicidade, a necessidade de contar com recursos humanos totalmente dedicados à sua análise e logística bem como o stress e potenciais danos que pode provocar nas peças o que, numa situação limite, poderá levar ao assumir de um prejuízo que poderia ter sido evitado com uma melhor e mais eficaz identificação. E numa época em que a temática das alterações climáticas ganha cada vez mais influência junto da opinião pública, a ideia de termos peças a circular repetidamente entre a Auto Delta e parceiros (e vice versa), não abona à ideia de maior respeito pelo nosso meio ambiente.

Que medidas têm tomado na vossa organização para reduzir ou eliminar este problema da devolução de peças?
Para além de, internamente, nos termos vindo a dotar de recursos humanos e técnicos que façam com que este trabalho seja mais fluido e não tão exigente para quem o faz, procuramos também dar aos nossos parceiros comerciais as melhores ferramentas de identificação de peças. Este é o primeiro passo que, aliado à consciencialização de todos, deverá levar a um mercado mais esclarecido e, consequentemente, com outro tipo de cuidados nessa temática.

Possui a vossa empresa alguma plataforma digital (ou não) para gerir as devoluções? Se sim, em traços gerais como funciona essa plataforma?
Sim, os nossos parceiros comerciais contam com um acesso a uma plataforma digital onde, inserindo a devolução em si, a podem justificar e apresentar razões plausíveis para que a mesma seja aceite, assim que chegue às nossas instalações, recolocada no stock e pronta a ser novamente comercializada de forma definitiva o mais rapidamente possível.

PALAVRAS-CHAVE