Ver todas

Back

Renting de equipamentos: Equipamentos sem burocracias

5 Abril, 2021
506 Visualizações

Com cada vez mais adeptos, principalmente pelas suas vantagens económicas, o renting é uma solução rápida e completa para as oficinas se manterem atualizadas tecnologicamente.

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

Os veículos incorporam cada vez mais tecnologia e as oficinas necessitam de equipamentos que permitam reparar eficazmente os modelos mais recentes. No entanto, acompanhar esta evolução tecnológica pode tornar-se dispendioso e comprometer a liquidez das oficinas. Atualmente, o renting ou aluguer operacional de equipamentos oficinais é uma solução interessante para mecânicos independentes e para oficinas de pequena ou média dimensão, dando resposta às necessidades de equipamento das oficinas. Esta solução permite também a possibilidade de aquisição do equipamento no final do contrato, através de uma taxa residual previamente negociada. Em contratos que podem ir de 18 a 48 meses, o renting permite, entre outras vantagens e sem investimento inicial, um serviço de assistência técnica permanente e manutenção preventiva dos equipamentos, reduzindo ao mínimo os tempos de paragem de funcionários e veículos.

O acesso a ferramentas tecnológicas, assim como à formação nesses equipamentos, são outros dos motivos pelos quais o renting de equipamentos oficinais tem sido cada vez mais procurado. Assim, negociando com a empresa gestora do renting e o fornecedor do equipamento, é possível ter a oficina permanentemente renovada com os equipamentos tecnologicamente mais recentes. “Conhecido de todos os empresários como solução para a aquisição de viaturas, gestão de frotas e investimento informático, o renting também se tem vindo a aplicar, nos últimos anos com sucesso, ao investimento e modernização em equipamento para as oficinas. O renting de equipamentos veio, por isso, ajudar as pequenas e médias empresas e contém em si mesmo um conjunto de benefícios”, afirma José doMorgado, da Domingos & Morgado, que acrescenta: “O renting coloca-nos numa situação onde podemos renovar os nossos equipamentos – por equipamento de última geração. Melhor ainda, o nosso pagamento mensal pode nem sequer sofrer grandes alterações, uma vez que o preço de grande parte dos equipamentos ou se mantém ou está em fase de declínio”.

“Em síntese, o cliente paga o uso que dá ao seu equipamento, a empresa de renting paga ao seu fornecedor o equipamento, que poderá negociar em condições mais vantajosas” – José Morgado, Domingos & Morgado

EQUIPAMENTOS

Embora o renting de equipamentos possa ser feito para qualquer equipamento oficinal, no caso da Liqui.do, “os principais equipamentos financiados são: equipamento de diagnóstico, elevadores, alinhadores de direção, calibradores de rodas, máquinas de desmontagem de pneus, software de gestão oficinal, estações de carga de ar condicionado, descarbonizadores, carros de ferramentas, gruas e mobiliário oficinal”, explicou à PÓS-VENDA José Capitão, da Liqui.do, que acrescenta: “as empresas procuram formas cada vez mais eficientes de alocar a disponibilidade financeira em investimentos que possam trazer retorno e esta foi uma tendência que se acentuou nesta fase. Se, num período pré-pandemia já assistíamos a um crescimento nesta vertical, com a pandemia aumentou o número de empresas que procuram esta solução”.

“O renting acabou por ser uma solução para muitas empresas quando a banca tradicional passou a ser mais seletiva” – Tiago Ribeiro, Grenke

Quais as vantagens do renting de equipamentos?

Para as oficinas
Mais liquidez: o cliente paga rendas mensais/trimestrais, que não comprometem a sua liquidez, ao contrário do que aconteceria se pagasse o equipamento a pronto ou recorrendo ao crédito bancário. O empresário pode adquirir o equipamento sem necessidade de fazer qualquer entrada inicial. Acesso a equipamentos modernos: permite aceder a equipamentos novos e até de uma gama superior, por uma fração do investimento. Quando uma oficina recorre a capitais próprios, muitas vezes vê-se a trabalhar com equipamentos obsoletos e que comprometem a sua atividade.

Diferenciação da concorrência: o acesso a melhores equipamentos permite oferecer serviços que de outro modo poderiam estar condicionados pela capacidade de investimento. Com o renting é possível alugar equipamentos que ofereçam serviços diferenciadores.

Vantagens fiscais: As prestações do renting são 100% dedutíveis como despesas operacionais e, não está sujeito ao imposto de selo sobre os juros e abertura do crédito. O IVA é dedutível.

Não necessita de avais dos sócios: Como a aprovação do crédito tem por base os
resultados da empresa, a decisão do crédito aprovado não exige os avais dos sócios.

Para distribuidores e representantes de marcas

Aprovação em segundos: A decisão de cada operação de renting não demora mais que 30 minutos e não necessita da apresentação de qualquer documentação prévia, porque a empresa gestora do renting trabalha com bases de dados das empresas. Processo digital: o revendedor necessita apenas do NIF do cliente para simular as condições. A assinatura do contrato é totalmente feita de uma forma digital.

Mais liquidez: em vez de bloquear capital em ativos de rápida depreciação, pode pagar esse ativo ao mesmo tempo que beneficia do seu uso. Outro benefício é o facto de o renting manter a dívida fora do balanço, melhorando desse modo os rácios financeiros da empresa, porque não reporta ao crédito bancário cuja informação sai para o Banco de Portugal.

Mais negócio: o plafond aprovado ao cliente pode ser utilizado no renting de mais do que um equipamento.

Retenção de clientes: no final do contrato, o revendedor pode propor a renovação das condições do renting, com um novo equipamento, ou o cliente pode adquirir o equipamento à empresa de renting, num montante previamente negociado.

Se, num período prépandemia já assistíamos a um crescimento nesta vertical, com a pandemia aumentou o número de empresas que procuram esta solução – José Capitão – Liqui.do

EVOLUÇÃO DO RENTING DE EQUIPAMENTOS ÀS OFICINAS NOS ÚLTIMOS ANOS

Tiago Ribeiro – Grenke

A pandemia e a falta de liquidez consequente, fez aumentar os pedidos de renting?
A pandemia numa primeira fase adiou alguns negócios que eram para ser realizados em 2020, mas que acabaram por ser realizados no início de 2021.

De que forma o renting poderá evoluir ainda mais no setor oficinal?
Os equipamentos têm cada vez mais uma componente tecnológica, como por ex. os software para oficinas, criando a necessidade de as oficinas terem tecnologia de ponta para prestar o melhor serviço aos seus clientes. Neste sentido, o Renting será a solução que poderá permitir manter a tecnologia de ponta com menor investimento inicial, dando assim, a possibilidade às empresas de manterem a sua liquidez e as suas linhas de crédito junto dos seus bancos.

O renting costuma estar associado a apenas um equipamento ou a vários equipamentos?
O contrato de Renting tanto é solução para um só equipamento, com valor mínimo de 500€, ou para vários equipamentos sem limite de valor. O contrato de Renting permite aos clientes agrupar vários equipamentos de forma a poder ter soluções mais completas de acordo com as necessidades sem despender de grandes investimentos iniciais.

Que dados pode fornecer sobre a evolução do renting?
O quadro abaixo indica-nos que o crescimento médio anual nos últimos 10 anos foi de 17,72%, nos últimos 5 anos de 29,54% e nos últimos 2 anos de 74,29%. Na coluna mais à direita do quadro, verificamos também a média de crescimento anual a 10, 5 e 2 anos. Utilizei como referência para o comparativo de crescimento o ano de 2019, pois foi um ano dito “normal”. No entanto, acho também importante apresentar o impacto que a pandemia acabou por ter nos resultados de 2020.

TURBOCLINIC
Especialista em equipamentos para a reparação de turbos, a Turboclinic disponibiliza também uma modalidade de renting: o TurboClinic Rent. Nuno Lopes, Assistant Manager da TurboClinic, explica que “a reparação de turbos é um negócio com elevado potencial e em constante crescimento”, fruto de “um parque automóvel cada vez mais equipado com turbocompressores”. Para o Assistant Manager, o TurboClinic Rent vem “permitir às oficinas iniciarem-se nesta área com o equipamento mais completo do mercado para a afinação de turbos de geometria variável com um investimento reduzido face à rentabilidade”. Logo, é possível às oficinas “rentabilizar o investimento inicial mensal logo no primeiro mês”. O TurboClinic Rent dispõe de 2 períodos de renting 36 ou 48 meses durante os quais os clientes podem usufruir, para além da VNT i,das Funções Adicionais da VNT, do TurboClinic Premium Service, da Subscrição Anual do Equipamento, da Extensão de Substituição ou Reparação de Componentes, de formação para a utilização do equipamento e de assistência técnica remota e em tempo real.

CAIXABANK EQUIPMENT FINANCE
O CaixaBank Equipment Finance, empresa do Grupo CaixaBank especializada no aluguer de equipamento a longo prazo, já opera em Portugal. A entidade disponibiliza soluções de Renting de Equipamentos, para diferentes setores incluindo o do pós-venda automóvel, dirigidas ao mercado empresarial. Tendo em conta a transversalidade destas soluções de Renting, as empresas portuguesas têm agora mais uma forma de aceder aos equipamentos necessários ao desenvolvimento da sua atividade, nomeadamente nos setores dos transportes, logística, entre muitos outros. A entidade atua em parceria com o BPI, que assegura o desenvolvimento da atividade comercial e o relacionamento com os Clientes. Este alargamento de operações faz parte da estratégia anunciada anteriormente pelo Grupo CaixaBank que prevê disponibilizar, de forma faseada, uma solução integral de renting de equipamentos, leasing e empréstimos, dirigida ao mercado empresarial em Portugal.

“O verdadeiro valor do equipamento está no uso que lhe é dado e não na sua posse” José Capitão – Liqui.do

O que pode variar num contrato de renting?
O nosso algoritmo atribui as condições de renting em função da análise de risco do cliente, da duração do contrato, do setor, etc. Ou seja, dois clientes podem fazer renting do mesmo equipamento, ter um contrato com a mesma duração, simulados pelo mesmo revendedor e ainda assim terem uma ligeira diferença nas condições aprovadas. As nossas decisões são dadas pela plataforma de acordo com o algoritmo que a nossa equipa desenvolveu, com base em machine learning, market intelligence, inteligência artificial e cloud computing. Deste modo conseguimos oferecer preços muito mais competitivos aos melhores clientes, ao mesmo tempo que garantimos a aprovação para uma franja muito significativa de clientes que não são tradicionalmente aprovados. Com o plafond aprovado, o cliente pode optar por fazer renting de um ou várias máquinas, em função das suas necessidades. O que observamos é que os nossos clientes fazem contratos recorrentes para diversos equipamentos e com diferentes fornecedores.

Como tem evoluído o renting de equipamentos às oficinas?
Esta é uma área onde o renting tem crescido e onde as oficinas encontram cada vez mais valor. As empresas procuram formas cada vez mais eficientes de alocar a disponibilidade financeira em investimentos que possam trazer retorno. Os empresários desta área já perceberam que o verdadeiro valor do equipamento está no uso que lhe é dado e não na sua posse. A possibilidade de mudar os equipamentos no final do contrato e de não utilizarem equipamentos obsoletos também tem peso na hora de optar pelo renting. Este é hoje um dos nossos principais mercados. Temos já mais de €3M financiados e o crescimento tem sido muito acentuado nos últimos anos, com mais de 100 parceiros a trabalhar connosco regularmente.

De que forma o renting poderá evoluir ainda mais no setor oficinal
Acreditamos que este é um setor onde o renting ainda pode crescer. Embora sejam já muitas as empresas que recorrem ao renting de equipamentos para equipar as oficinas, ainda existe muito mercado para explorar. Este é um setor onde o recurso ao renting é relativamente recente. Com a evolução da tecnologia e com a inovação que encontramos atualmente neste setor, as empresas sentiram necessidade de procurar soluções que lhes permita maior flexibilização dos investimentos em equipamentos, surgindo o renting como um bom aliado de negócio. Além disso, quanto melhor conhecemos este mercado, mais oportunidades e novos produtos podem surgir, que possam colmatar eventuais necessidades. Parte destas empresas têm também plafond aprovado que nunca foi utilizado. Além das máquinas oficinais, este plafond pode ser alocado a outros equipamentos que existem nas oficinas, como computadores, impressoras, smartphones, etc.

Mário Rui Ferreira, Gravity Paint
“Em Dezembro passado,a GravityPaint decidiu dar início a mais um novo projecto. Com o “GravityRent”,todos os nossos clientes poderão alugar o equipamento pretendido,quer ele seja um elevador,um aspirador,uma pistola de decapagem,uma lixadeira,uma polidora excêntrica,uma máquina de soldar, uma máquina de lavar pistolas,um troley de ferramentas,etc. Dispomos de equipamentos das seguintes marcas: Festool, Finixa, Anest Iwata, Flex, DeWalt, Bosch, Makita, PowerED, Lincoln e Astra.

Vantagens deste serviço:
– O Cliente poderá ajustar o seu parque de ferramentas de acordo com o volume e tipo de trabalho em curso naquele espaço de tempo
– Redução do investimento inicial em equipamentos
– Possibilidade de trabalhar sempre com a última geração de equipamentos
– Assistência técnica com equipamento de substituição no caso de avaria
– Manutenções e reparações incluídas no valor do aluguer
– Possibilidade de escolher 4 prazos de aluguer: até 1 semana ; de 1 semana a 1
mês ; de 1 mês a 6 meses ; até 36 meses
– Equipamentos fornecidos com etiquetas personalizadas
– Possibilidade de devolução ou renovação do aluguer

PALAVRAS-CHAVE