Ver todas

Back

ACEA, CECRA, CLEPA e ETRMA propõem 25 medidas para um forte regresso do setor automóvel

5 Maio, 2020
996 Visualizações

Quatro das mais importantes associações sectoriais europeias ligados ao automóvel (ACEA, CECRA, CLEPA e ETRMA), publicaram um documento com 25 pontos de ação para um forte recomeço do setor.

O COVID-19 tem tido um grande impacto na economia europeia e mundial, com as atividades de retalho e de produção a serem prejudicadas sem precedência, levando a preocupações crescentes no sentimento do consumidor. O setor automóvel europeu, que foi particularmente afetado, propõe um plano composto por 25 ações-chave para garantir um forte reinício do setor e da economia em geral.

Visando os poderes de decisão a nível nacional de cada Estado e da UE, o plano de ação lista recomendações tangíveis para sair com êxito da crise do Covid-19. É emitido pelas quatro associações que representam toda a cadeia automóvel: de fornecedores de equipamentos e pneus, fabricantes de veículos, revendedores e oficinas (ACEA, CECRA, CLEPA e ETRMA). Juntos, querem contribuir para uma resposta política ao Covid-19 que garanta a saúde pública, minimize o impacto na economia e mantenha o foco nos objetivos gerais de nosso tempo: a sociedade digital e neutra em carbono.

Como parte do plano de ação, o setor exige esquemas coordenados de renovação de veículos para todos os tipos e categorias de veículos em toda a UE. Isso irá impulsionar a procura privada e comercial, apoiar a recuperação económica em geral e acelerar o rejuvenescimento da frota de veículos nas estradas da Europa.

Os incentivos à compra e ao investimento devem basear-se em critérios semelhantes em toda a Europa, com base em financiamento nacional e da União Europeia. Tais esquemas devem ser aprimorados com incentivos e devem levar em consideração as ambições da sociedade e os objetivos de eficiência de recursos, em conjunto com o impacto económico.

Eric-Mark Huitema, diretor geral da ACEA, a associação de fabricantes de automóveis declarou: “Agora é crucial colocar toda a cadeia de valor automóvel em movimento. Precisamos de um relançamento coordenado da atividade industrial e de retalho, com liquidez para as empresas. Medidas direcionadas precisarão ser tomadas para acionar a procura e o investimento. O estímulo à procura aumentará a utilização da nossa capacidade de fabricação, salvaguardando empregos e investimentos”.

Bernard Lycke, diretor geral da CECRA, a associação de concessionárias e oficinas de automóveis, afirma: “Para relançar a mobilidade e a atividade económica, será essencial que os concessionários de veículos e oficinas de automóveis reabram o mais rápido possível nos países onde ainda estão fechadas. Incentivos de compra direcionados e esquemas de veículos em fim de vida para todas as categorias de veículos, além de estimular a recuperação, contribuem positivamente para a neutralidade do carbono e a segurança nas estradas”.

Sigrid de Vries, Secretário Geral da CLEPA, a associação da indústria de fornecedores de automóveis na Europa diz: “O reinício do setor automóvel atuará como um mecanismo de recuperação económica geral, devido ao impacto significativo no emprego e ao efeito imediato de outros setores. O investimento em pessoas e I&D também é fundamental. A Europa precisa de um forte ecossistema automóvel para permanecer competitiva e avançar com ambiciosas metas ambientais, digitais e de segurança nas estradas”.

Fazilet Cinaralp, Secretário Geral da ETRMA, Associação Europeia de Fabricantes de Pneus e Borrachas: “O setor automóvel está comprometido em emergir desta crise mais forte do que antes. Um reinício bem-sucedido requer uma estrutura reguladora de suporte que proteja a saúde pública, minimize o impacto na economia e garanta a transição para uma economia circular e neutra em carbono. Em estreita colaboração com a Comissão Europeia, queremos contribuir para uma resposta política que traga uma recuperação bem-sucedida do COVID-19”.

25 MEDIDAS (ACEA, CECRA, CLEPA e ETRMA)

1 – Emitir orientações harmonizadas sobre as precauções de saúde e segurança no local de trabalho;

2 – Isentar o transporte de mercadorias dos fecho de fronteiras e alinhar as medidas de controle de fronteiras;

3 – Manter a fonte central de informações sobre medidas de fronteira definidas pela Comissão;

4 – Exemplos uniformes concedidos para deslocações transfronteiriças e viagens necessárias;

5 – Considerar flexibilidades temporárias nas regras da concorrência;
6 – Utilizar as flexibilidades de diferimento oferecidas pelo Código Aduaneiro da União;

7 – Retornar concessionárias e oficinas de veículos automóveis o mais rápido possível;

8 – Introduzir esquemas de renovação imediata de veículos para todas as categorias de veículos na EU;

9 – Esquemas de renovação reforçada com financiamento direto da EU;

10 – Ferramentas diretas de financiamento da UE para compras públicas direcionadas aos veículos novos;

11 – Inicie do projeto piloto anunciado para a infraestrutura de tarifação e combustíveis alternativos, sem mais demora;

12 – Acelere e facilite o investimento em infraestrutura digital de próxima geração;

13 – Adie todas as consultas públicas não essenciais por pelo menos dois meses;

14 – Avaliar o impacto da crise do Covid-19 na legislação relevante do setor;

15 – Reinicie o processo de aprovação de tipo o mais rápido possível, para facilitar a implementação contínua dos requisitos regulamentares;

16 – Reforçar a fiscalização no mercado da UE da legislação aplicável;

17 – Propor ambiciosas recomendações das diretrizes para a “Infraestrutura de Combustíveis Alternativos” já no terceiro trimestre de 2020;

18 – Acelerar as propostas legislativas para apoiar a absorção de combustíveis com baixo teor de carbono e com baixo teor de poluentes;

19 – Reflitir a “Transição justa” e a recuperação do Covid-19 na “Skills Agenda”;

20 – Acelerar o trabalho regulatório sobre digitalização nos transportes;

21 – Garantir um orçamento ambicioso da “Horizon Europe” para apoiar um sistema de transporte rodoviário neutro em termos climáticos;

22 – Melhorar a contratação pública centrada na inovação em transporte e mobilidade através dos ESIF;

23 – Ampliar as futuras iniciativas de mobilidade do EIB para financiar a inovação;

24 – Apoiar e capacitar novamente a força de trabalho;

25 – Estabelecer rapidamente um pacto setorial de competências para o setor automóvel.

Veja AQUI o documento completo com as 25 medidas.

 

 

 

PALAVRAS-CHAVE