Ver todas

Back

“As devoluções poderão ser uma fonte de potencial insatisfação”, Rui Valente, MCoutinho Peças

27 Setembro, 2022
453 Visualizações

Rui Valente, MCoutinho Peças refere que a empresa tem cerca de 30 atendedores a identificar peças originais e independentes para dessa forma minimizar também o erro da devolução.

Qual a dimensão do problema da devolução de peças no aftermarket para a vossa organização? Pode quantificar a dimensão desse problema?
Antes de mais, consideramos ser necessário clarificar o que são devoluções. Estas podem ser divididas em dois grupos: devoluções puras e devoluções de peças de economia circular.
Com um aumento do volume de negócios, é natural que o número de devoluções possa também crescer. No entanto, trabalhamos diariamente na melhoria da qualidade do serviço que prestamos aos nossos clientes, especificamente na mais correta identificação de peças, para que percentualmente o número de devoluções desnecessárias reduza.
Por outro lado, e como a economia circular ocupa cada vez mais uma maior importância para a sustentabilidade, existe efetivamente uma maior consciencialização e preparação de toda a nossa cadeia logística para este tipo de peças, seja ao nível humano e operacional, como no desenvolvimento de sistemas de suporte/tratamento de processos.

Quais as razões que levam a que as devoluções de peças seja um problema para as empresas de peças?
Naturalmente as devoluções, em todos os setores de atividade, poderão ser uma fonte de potencial insatisfação, tanto para o cliente como para o seu fornecedor. No entanto, tratamos as devoluções como uma venda, ainda que em sentido contrário. É um serviço que prestamos ao nosso cliente.

Que medidas têm tomado na vossa organização para reduzir ou eliminar este problema da devolução de peças?
Focamos a nossa atenção na minimização do erro. Por essa razão seremos a única empresa com cerca de 30 atendedores a identificar peças originais e independentes, especialistas que recorrem às ferramentas tecnológicas mais desenvolvidas e atualizadas em tempo real. Além de refinarmos sucessivamente os nossos processos de forma a garantir um serviço de excelência para o cliente. Estamos perto do cliente, entendemos as suas preocupações e focamo-nos na antecipação dos problemas.

Possui a vossa empresa alguma plataforma digital (ou não) para gerir as devoluções? Se sim, em traços gerais como funciona essa plataforma?
Fomos os primeiros há vários anos a desenvolver uma plataforma de registo e controlo de devoluções, e desde sempre com a preocupação de nos colocarmos na perspetiva do cliente.
É uma plataforma altamente facilitadora do processo para o Cliente. O Cliente facilmente regista o pedido e tem visibilidade sobre todo o processo. Faz parte da nossa visão do negócio: transparência e visibilidade do processo. E algo que nos caracteriza é precisamente olharmos para todos os processos como uma obra inacabada. É sempre possível fazer melhor. E é isso que o Cliente pode esperar de nós. É esse o nosso compromisso.

PALAVRAS-CHAVE