Ver todas

Back

Stellantis anuncia novos Scudo e Ulysse

2 Novembro, 2021
582 Visualizações

A Stellantis acaba de anunciar a nova ‘minivan’ Fiat e um veículo comercial Fiat Professional de gama ligeira/média, o Scudo e o Ulysse.

Os dois novos modelos estarão disponíveis nas versões de combustão interna ICE (Internal Combustion Engine) e 100% elétrica BEV (Battery Electric Vehicle). Mais especificamente, os motores de combustão interna serão unidades a gasóleo, associadas a uma transmissão manual ou automática. O veículo comercial ligeiro estará disponível em três carroçarias – Van, Combi e Cab, indo ao encontro de todos os requisitos do transporte profissional. Ambos os veículos estão, também, assentes na plataforma EMP2, permitindo atender a necessidades específicas de vários mercados, adaptando-se a modelos e segmentos muito diferentes. Esta mesma plataforma é também aplicada nos modelos Peugeot Expert e Traveller, Citroën Jumpy e SpaceTourer, e Opel/Vauxhall Vivaro e Zafira Life.

De regresso à unidade fabril francesa estão duas marcas italianas que ali desenvolveram alguns dos seus modelos mais famosos: o topo de gama monovolume Fiat Ulysse produzido entre 1994 e 2002, e o Fiat Scudo, veículo comercial ali fabricado entre 1996 e 2016. Inaugurada em 1992, como resultado da histórica ‘joint-venture’ estabelecida em 1978 entre os então grupos Fiat e PSA, este complexo industrial será o ‘berço’ dos dois novos modelos, das marcas Fiat e Fiat Professional, ficando aptos a enfrentar os desafios da nova mobilidade urbana, cada vez mais sustentável e amiga do ambiente.

Inspirados pelo sucesso dos seus antecessores, os dois novos modelos irão denominar-se Fiat Ulysse e Fiat Professional Scudo. Irão dar um impulso às gamas das marcas baseadas em Turim, servindo como uma solução de emissões zero dirigida às famílias numerosas, ao mercado dos veículos de lazer, ao transporte por motoristas, aos profissionais e aos amantes das atividades de ‘outdoor’. De facto, as versões equipadas com os conhecidos e fiáveis motores de combustão interna, de ambos os modelos, ver-se-ão acompanhadas pelas inovadoras variantes 100% elétricas, que irão atrair um enorme interesse por parte do público.

A nova geração Fiat e Fiat Professional é, por conseguinte, uma resposta à transição em curso rumo a uma mobilidade de emissões zero. Mais especificamente, com o aumento da utilização de veículos comerciais ligeiros nas zonas urbanas – em parte devido ao aumento da procura de serviços de entregas ‘online’, estes veículos irão contribuir, de um modo significativo, para a redução das emissões nas cidades. Da mesma forma, as versões de transporte de passageiros irão permitir às famílias desfrutar de um estilo de vida ativo e ‘verde’, beneficiando de dispositivos inovadores de alta tecnologia, níveis extraordinários de conforto e espaço, no topo do seu segmento, bem como de funcionalidades avançadas de segurança.

As encomendas para o Fiat Professional Scudo irão iniciar-se nos principais mercados entre o final deste ano e o início do próximo, enquanto o Fiat Ulysse estará disponível durante o primeiro trimestre de 2022.

A Stellantis já desempenha um papel de liderança neste contexto, comprovada pela sua indiscutível supremacia europeia na vertente de veículos comerciais e pela sua clara intenção de se tornar líder mundial em veículos comerciais elétricos. De igual forma, o Grupo tem como objetivo uma estratégia de eletrificação abrangente, de modo a dotar as suas marcas icónicas com veículos de ponta, alavancando tanto a experiência interna como as parcerias/’joint-ventures’ para o desenvolvimento de tecnologias avançadas a preços acessíveis. Ao longo dos próximos três anos, a viagem rumo à eletrificação dos veículos comerciais será alargada a todos os seus produtos e regiões, incluindo a oferta de furgões alimentados com pilhas de combustível a hidrogénio até ao final de 2021.

Até 2030, os veículos de baixas emissões da Stellantis deverão representar mais de 70% das vendas na Europa e mais de 40% nos EUA, fruto de um investimento superior a 30 mil milhões de euros até 2025, na eletrificação e desenvolvimento de software.

PALAVRAS-CHAVE