Ver todas

Back

“Houve algumas convulsões, redistribuições de quotas de mercado”, Francisco Andrade, Portepim

3 Fevereiro, 2017
646 Visualizações

Francisco Andrade, Diretor Geral Executivo da Portepim, diz foi 2016 foi um ano de mudança profunda na empresa, num mercado em convulsão.

Qual o balanço que faz da actividade da sua empresa em 2016 e quais foram os factos mais marcantes no setor das tintas / repintura auto?
O ano de 2016 foi um ano de mudança profunda na Portepim SA, com a assunção da representação exclusiva para Portugal da marca CROMAX. Foi portanto um ano de muito trabalho, com a conversão de todo o parque de clientes oficinais da anterior marca para a CROMAX. O processo foi concluído com máximo sucesso, com a conversão integral dos clientes oficinais. É obviamente um processo contínuo, com a necessária formação e reajustamento aos clientes dos novos métodos de trabalho, de modo a potenciar as enormes e ímpares qualidades dos produtos da marca CROMAX. Este processo continuará ao longo de 2017.
Foi ainda possível em 2016 ganhar novos clientes, para além dos convertidos, que claramente procuram a tranquilidade que a relação de um produto de qualidade máxima como é a CROMAX e uma assistência de excelência como a da Portepim SA lhes trazem. Foi portanto um ano de sucesso para a  Portepim SA.

Que análise faz do mercado das tintas / repintura auto atualmente?
Houve neste setor, nos últimos 2 anos, grandes alterações de marcas representadas por importantes operadores do mercado. Houve portanto algumas convulsões, redistribuições de quotas de mercado. É pois difícil perceber em termos de volumes qual a verdadeira evolução deste setor de atividade. Cremos que depois de perdas fortes até 2014/2015, houve alguma, pouca recuperação e em 2016 alguma estagnação. Mas não há dados oficiais que nos permitam confirmar esta impressão.
Este setor carateriza-se por uma enorme competitividade, que resulta em margens a encurtar-se continuamente, tornando a rentabilidade dos operadores um desafio permanente.

Quais as perspectivas para 2017 e futuro, e que factos poderão vir a marca este setor?
Na Portepim, SA, a perspetiva é de crescimento, consolidando as oficinas convertidas e ganhando mais clientes que nos têm procurado, procurando essa relação qualidade/preço otimal que a Portepim oferece, associando um serviço pós venda e assistência de excelência aos clientes, a uma marca de renome e de qualidade impar em todo o mundo. Não conseguimos quantificar esse crescimento, mas a expetativa é clara, nesse sentido.

PALAVRAS-CHAVE