Ver todas

Back

Liqui Moly regista quebra de 50% nos lucros

15 Fevereiro, 2021
802 Visualizações

A pandemia também não poupou a especialista em lubrificantes, Liqui Moly. É verdade que o volume de negócios aumentou 7,1%, atingindo um novo valor recorde. Mas, devido a um programa de investimentos de vários milhões de euros, o lucro diminuiu significativamente.

Porém, o CEO, Ernst Prost, continua confiante: “Com as nossas medidas vigorosas, continuamos a crescer e a apresentar resultados positivos. A nossa sólida situação económica dos últimos anos, sem passivos bancários, ajuda-nos a enfrentar as consequências da crise.”

Em 2020, o volume de negócios da Liqui Moly aumentou 7,1%, atingindo 611 milhões de euros. Os lucros reduziram-se para 25 milhões de euros, também porque, durante a crise, esta empresa de média dimensão investiu quase 45 milhões de euros em medidas de marketing. Adicionalmente, foram contratados mais de 100 novos colaboradores.

No final de 2020, o número de trabalhadores chegou a 989. “A nossa aposta foi um forte investimento, o que nos distinguiu dos nossos concorrentes. Apesar da implementação minuciosa das medidas de higiene, dos planos de proteção e do teletrabalho, estávamos disponíveis 24 horas por dia para os nossos clientes e aumentámos enormemente a nossa presença em todos os meios de comunicação. O nosso crescimento é apenas a consequência lógica das nossas ações”, explica o CEO da empresa sobre o seu plano.

Devido à posição inicial da empresa, a um balanço positivo de 208 milhões de euros, bem como a fundos próprios de 168 milhões de euros e a uma quota de capital próprio superior a 80 por cento, o especialista em lubrificantes dispunha de força suficiente para realizar os investimentos necessários sem recorrer a capital externo nem a encargos de crédito. Estes investimentos compensaram, afirma Ernst Prost: “Graças às nossas decisões estratégicas, conseguimos chegar ao fim do ano com um aumento considerável.” Ao mesmo tempo, o responsável reforça que a Liqui Moly poderia ter atingido um aumento muito mais significativo do volume de negócios. “Sentimos, em todas as áreas, a crise económica provocada pelo coronavírus, pelo layoff e pelo teletrabalho devido ao confinamento dos nossos fornecedores. Faltaram-nos matérias-primas, materiais de embalagem, etiquetas e tampas, enquanto a logística e a capacidade de carga diminuíram significativamente”, declara Ernst Prost.

A empresa voltou a fazer manchetes novamente em 2020, graças à sua responsabilidade social. Um subsídio de coronavírus para todos os trabalhadores e doações de produtos de valor superior a 5,5 milhões de euros a bombeiros, serviços de emergência, organizações de primeiros socorros e outras organizações sem fins lucrativos foram medidas óbvias para a empresa. “Nestas alturas, temos de nos unir e todos devem contribuir para o bem comum”, descreve Ernst Prost.

No geral, todos os segmentos da completa gama de produtos conseguiram obter resultados positivos. No negócio principal da empresa, os óleos de motor, o aumento do volume de negócios é de 6,4%. O facto de as pessoas viajarem menos e passarem mais tempo livre em casa também se reflete no aumento do volume de negócios de produtos para motos, bicicletas e embarcações.

Ao contrário dos anos anteriores, o volume de negócios da Liqui Moly aumentou mais desta vez na Alemanha do que no estrangeiro. No entanto, as exportações também registam um crescimento estável, como demonstra o negócio nos EUA, no Canadá e na Ibéria.

O ano de 2020 foi também o melhor de sempre para a Liqui Moly Iberia, a sucursal da casa-mãe responsável pelos mercados português e espanhol. Em comparação com 2019, foi registado um importante crescimento de 15,4% nas vendas. “Foi um ano muito desafiante para o mercado, mas foram tomadas as medidas adequadas para apoiar os nossos clientes e, com o esforço de toda a equipa, colhemos estes frutos”, sublinha Matthias Bleicher, CEO da Liqui Moly Iberia.
Contas feitas, dos 12 meses do ano, em oito deles a Liqui Moly Iberia bateu recordes de vendas. Janeiro, fevereiro, julho, agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro registaram volumes de vendas nunca antes alcançados, em comparação com os mesmos meses de anos anteriores.

O ano de 2020 ficou também marcado pela integração de novos parceiros de negócio na rede de distribuição ibérica, com especial foco em Espanha, onde a marca se encontra num forte e rápido processo de crescimento. Destaque também para o reforço de outros segmentos, como o caso dos veículos pesados. “Contamos com uma rede de distribuição muito estável em Portugal há muitos anos. O mesmo acontece em Espanha, onde estamos há menos tempo de forma direta, mas encontrámos o nosso espaço, com parceiros fortes no segmento automóvel, das duas rodas, na náutica e nos veículos pesados. A grande vantagem é que temos tantas possibilidades e oportunidades com os nossos parceiros que não vamos abrandar esta curva de crescimento”, antevê Matthias Bleicher, que revela já um arranque de ano muito promissor.

Ainda que o mercado de lubrificantes em geral esteja em queda, a Liqui Moly Iberia manteve o seu crescimento neste segmento, com uma subida de 4,1% face a 2019. Também nos aditivos, a marca alemã reforça a sua liderança, com um crescimento de 22,3% em comparação com o ano anterior. “A qualidade dos nossos produtos é amplamente reconhecida e notamos que um aparte importante do mercado procura produtos da mais alta qualidade. É esta garantia que faz com que a nossa base de clientes cresça todos os dias e faz também com que quem experimenta os nossos produtos se mantenha fiel à marca”, reforça o CEO da Liqui Moly Iberia.

Durante o ano de 2020 foram também lançadas as sementes para sustentar o crescimento contínuo da marca. Uma área fundamental da estratégia da marca é o marketing, onde foi investido um valor sem precedentes, que culminou com uma campanha televisiva em horário nobre nos dois principais canais generalistas portugueses e em nove canais de televisão espanhóis, durante o mês de dezembro. “Este investimento, a par do fortalecimento da nossa distribuição, foi também impulsionado pela incorporação de novos elementos na equipa, tanto em Portugal como em Espanha, para garantir sempre o melhor serviço aos nossos clientes. Sabemos que a nossa forma de trabalhar é muito diferente e vive deste contacto direto. Por isso, continuamos em processo de contratação e reforço da nossa equipa para ambos os países”, conclui Matthias Bleicher.

PALAVRAS-CHAVE