Ver todas

Back

Venda de usados B2C aumenta em maio

16 Junho, 2021
208 Visualizações

Segundo o Observatório Indicata, a nível europeu, em maio de 2021 as vendas de veículos usados online B2C aumentaram 6,2% em relação a Abril, devido ao maior número de dias úteis.

No acumulado até à data, as vendas de automóveis usados cresceram 24,5% em relação a 2020 e 8,5% em relação a 2019. Em Portugal, também de acordo com o Observatório INDICATA, as vendas de veículos usados em Maio de 2021 ficaram 5,2% acima dos níveis do mês passado.

Em Maio de 2021 as vendas de veículos usados online B2C aumentaram 6,2% em relação a Abril devido ao maior número de dias úteis. Em Maio de 2021 o volume de vendas de usados aumentou 36,7% em relação ao ano anterior. As vendas acumuladas até Maio cresceram 24,5% em relação a 2020 e 8,5% acima de 2019. Em Maio o Reino Unido torna-se o último país a apresentar taxas de crescimento exuberantes (+ 224,2% em relação ao ano passado).

Os níveis de stock são agora, em Junho de 2021, 2,0% menores que o ano passado e 4,6% menores que no mês anterior. “A escassez de veículos com menos de 1 ano de idade, por exemplo provenientes de rent-a-car e viaturas de demonstração, parece ser duradoura pelo que é expectável que se mantenha durante boa parte de 2021”, prevê o Director Global do INDICATA, Andy Shields. “O stock de veículos com volante à esquerda apresenta-se desequilibrado em alguns países, criando oportunidades de negócio transfronteiriço”, acrescenta.

Todas as motorizações registam um aumento nas vendas de usados, quando comparado com o mês anterior, com os BEVs a apresentar a taxa de crescimento mais forte (+ 14,0%) e a gasolina apresentando o valor mais baixo (+ 5,0%).

O diesel continua a ser o usado de venda mais rápida, com uma rotação de 7,3x ou 50 dias em stock, com a gasolina logo atrás (7,2x).

Para os BEVs usados com menos de 2 anos vendidos em toda a região, o Renault Zoe leva as honras de veículo mais vendido, seguido pelo Nissan Leaf. Mas pelo mesmo critério o BEV usado que vende mais rápido é o Tesla Model 3 com uma rotação de stock de 13,7x.

O Opel/Vauxhall Corsa e o Astra foram os veículos com motor de combustão interna que apresentaram velocidade de venda mais rápida nos grupos até dois e quatro anos de idade, respectivamente.

O INDICATA trabalha com uma amostra consistente de veículos com 3 anos, pelo que é expectável que o ciclo de vida do produto apresente um movimento de descida constante nos preços médios mensais. “No entanto, a forte dinâmica de vendas e os desafios de stock causados pelo Coronavírus faz com que os preços se apresentem genericamente estáveis ou mesmo a aumentar em vários países” termina dizendo Andy Shields.

O impacto da Covid-19 e as restrições e bloqueios que se seguiram atingiram o mercado de veículos usados online B2C, especialmente nos meses de Março e Abril de 2020, em toda a região coberta por este relatório. Dito isso, Maio de 2020 ainda se apresentava mais fraco do que o normal, impactando os resultados de Maio de 2021, produzindo um forte aumento anual de 36,7%.
A taxa de crescimento anual de 224,2% no Reino Unido parece significativamente desfasada do resto da região, mas isso deve-se ao momento em que se efectivou o bloqueio durante a primeira vaga, a 23 de Março de 2020. Este bloqueio tardio significou que no Reino Unido o mercado automóvel ficou quase um mês atrás da maior parte da região. Isso também significou o maior impacto nas vendas de usados ao longo de Março, Abril e Maio, resultando numa queda anual de 59,6% em Maio de 2020.

Após os primeiros 5 meses de 2021 e com as restrições da Covid-19 ainda em vigor em vários países, o volume de vendas de usados acumulado até Maio está agora 24,5% acima dos níveis do ano de 2020 e 8,5% acima do mesmo período em 2019. Com a Turquia apenas 0,5% abaixo do mesmo período de 2019 deixa apenas a Polónia (-7,3%) ainda a lutar para recuperar totalmente o seu mercado de usados, o qual é significativamente impactado pelas restrições de stock.

Embora no Observatório INDICATA o nosso foco permaneça centrado nos volumes e na rotação de stock do mercado, a velocidade das vendas e a transição para motorizações com emissões zero tornam-se questões-chave para o futuro. Portanto, estamos agora a incluir alguns detalhes sobre os modelos de venda mais rápida e, este mês, prestando atenção especial aos conjuntos de propulsão alternativos.

Portugal – Preços médios dos usados aumentam devido à forte procura

As vendas de usados online B2C continuam a ver um crescimento saudável em relação ao desafiante ano de 2020, marcado pela Covid-19, com as vendas de veículos usados em Maio de 2021 35,2% acima do mesmo mês do ano passado e 5,2% acima dos níveis do mês passado. Este forte crescimento nas vendas de veículos usados online significa que as vendas acumuladas em Maio de 2021 estão agora 40% acima de 2020 e 24% acima do mesmo período em 2019.
O desafio que os retalhistas enfrentam agora é conseguir obter o stock adequado. Os níveis de stock em Junho de 2021 estão 10,3% abaixo do mês anterior e 7,4% abaixo do ano passado, quando a procura era menor.

Para tentar amenizar a situação, os fabricantes parecem estar a apoiar as vendas tácticas, resultando no aumento de vendas de 15% nos veículos usados muito recentes, o que está a direccionar o mercado para carros até 3 anos de idade, resultando num crescimento saudável das vendas e aumento da rotação de stock nesta faixa etária.

Do nosso novo relatório “Top 10 Vendas” retiramos que a Renault manteve os dois primeiros lugares em termos do volume de veículos usados, até 4 anos, vendidos em Maio, com o Clio em número um, seguido pelo Mégane. A Renault também viu seu Twingo tornar-se o usado de venda mais rápida o mês passado, com veículos em stock apenas 11,5 dias.

O nosso índice de preços baseia-se num conjunto consistente de veículos, pelo que, em circunstâncias normais, esperaríamos um ciclo de vida impulsionado por um movimento constante de descida dos preços médios à medida que o ano avança. A procura saudável e a queda do stock disponível permitem que os preços dos veículos usados sigam contra esta tendência natural e apresentem um aumento.

PALAVRAS-CHAVE