Ver todas

Back

Liqui Moly cresceu quase 10% em 2022

23 Janeiro, 2023
218 Visualizações

Em 2022, a Liqui Moly atingiu um volume de negócios de 800 milhões de euros, representando quase 10% de crescimento em relação ao ano anterior.

Atingir 800 milhões de euros no ano de 2022 era o objetivo do especialista alemão em lubrificantes, objetivo este que havia sido fixado antes da pandemia da Covid, do conflito na Ucrânia e da crise energética global. Vários anos e algumas crises mais tarde, a contabilidade indica 799 746 000 €. “Conseguir este volume de negócios nos tempos que correm é a prova de que o nosso espírito de equipa é o correto e os nossos produtos são muito procurados em todo o mundo”, afirmou o diretor da empresa, Günter Hiermaier.

Tal como para muitas outras empresas, os obstáculos que a empresa de Ulm teve de vencer eram grandes. A pandemia e o confinamento, com todas as suas consequências, ainda não tinham sido ultrapassados que já a crise seguinte batia à porta. E esta crise afetou duramente a empresa. “A Rússia era o nosso segundo maior mercado comercial. Interrompemos voluntariamente o nosso negócio com eles. Para piorar ainda mais a situação, a China entrou em confinamento permanente, o que provocou também uma paragem neste grande mercado. Tivemos de ir buscar o negócio a outro lado”, afirma o diretor. “Conseguimos registar um enorme crescimento em praticamente todos os países de exportação. Conseguimos até, por vezes, duplicar as vendas, em especial nas regiões do Médio Oriente, da Ásia e da América Central e do Sul.

O mercado europeu também está a crescer, sendo que a França representa aqui o maior aumento. Além disso, com um crescimento superior a 30 por cento, os EUA estabeleceram-se no segundo lugar do pódio a seguir à Alemanha no que toca a vendas”, afirma o responsável da Liqui Moly. De uma forma geral, todos estes mercados ainda se encontram em desenvolvimento. A estratégia da empresa de Ulm assenta na internacionalização, por isso vai continuar a reforçar as exportações através de vendedores e medidas de marketing adicionais, e de novas filiais no estrangeiro. No total, a empresa já tem oito filiais em todo o mundo, como é o caso da Liqui Moly Iberia. “Na Alemanha, registamos um crescimento de 15 por cento em 2022. A nossa terra natal continua assim a ser o nosso maior mercado. No entanto, a marca Liqui Moly tem um grande potencial em todo o mundo. Somos mais eficazes com equipas próprias no local”, afirma Günter Hiermaier, com convicção.

Mas não é só o volume de negócios dos lubrificantes que aumenta, é também a produção de aditivos em Ulm. Com cerca de 18 milhões de latas, é assim estabelecido mais um recorde. Além disso, houve um aumento de 76 postos de trabalho, totalizando agora 1046. Nos próximos anos, a empresa planeia continuar a crescer, investindo vários milhões de euros na expansão e modernização da produção. As linhas de enchimento adicionais no novo pavilhão de produção devem começar a trabalhar no segundo trimestre. “Estamos a contar com taxas de crescimento semelhantes também nos próximos anos. Temos de criar as condições estruturais para tal. Estou particularmente entusiasmado por podermos criar postos de trabalho com o nosso crescimento. A Liqui Moly é e continua a ser uma empresa socialmente ativa”, assegura Günter Hiermaier. Por último, mas não menos importante, a responsabilidade empresarial vê-se nos pagamentos de compensação da inflação feitos a todos os trabalhadores. A empresa esteve muito à frente ao fazer, em 2022, vários pagamentos únicos.

O diretor da Liqui Moly foi também buscar reforços para a direção para continuar a crescer. O diretor financeiro de longa data, Uli Weller, é o segundo diretor desde janeiro, em paralelo com Günter Hiermaier. “A estrutura, a segurança e a continuidade são essenciais numa empresa em crescimento. Juntos, conseguimos simplesmente mais. E, ao mesmo tempo, garantimos que a empresa se mantém no bom caminho caso um de nós falhe inesperadamente”, afirma o diretor recém-designado, Uli Weller.

A visão da empresa é ambiciosa: pretende atingir um volume de negócios de mil milhões de euros em 2025 e continuar a reforçar o mercado de exportação, que já representa dois terços do volume de negócios. Para tal, a empresa reforçou também o departamento de exportação com pessoal e estruturas. “2035 é a data mágica para nós”, afirma Günter Hiermaier. Em 2022, a União Europeia assinalou esse ano como o ano que marca o fim do motor de combustão interna na Europa. “Estamos preparados e queremos atingir um volume de negócios anual de dois mil milhões de euros até essa data. Comercializamos cada vez mais produtos para veículos elétricos, bem como propulsões alternativas e estamos a entrar em mercados e segmentos onde o óleo de motor continuará a ser decisivo para a mobilidade e a economia muito depois de 2035. O potencial é ilimitado e vamos aproveitá-lo da melhor forma”, explicam ambos os diretores, em uníssono.

PALAVRAS-CHAVE