Ver todas

Back

100 anos Galucho: Aposta na qualidade e no serviço pós-venda

7 Abril, 2021
287 Visualizações

No ano de celebração do 100.º aniversário, a Galucho está a implementar novas estratégias tecnológicas e de serviço pós-venda, para otimizar a produção e melhorar o acompanhamento aos clientes.

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

Não é comum uma empresa fazer 100 anos, sempre com a família fundadora aos comandos. A Galucho celebra, por isso, o caminho evolutivo, que tornou a empresa uma referência na produção de equipamentos para a área agrícola e dos transportes. “Os 100 anos são um motivo de orgulho para nós. Acreditamos que temos um longo caminho pela frente, porque a resiliência da família proprietária da Galucho ajuda-nos a chegar a novos patamares, sempre com respeito pela história e tradição. Estamos a preparar a empresa, desejavelmente, para os próximos 100 anos”, explica Nuno Gama Lobo, diretor de operações, gestão, negócios e finanças da Galucho. Para isso, a empresa está a implementar um conjunto de restruturações. “Nesta fase, estamos a otimizar os nossos métodos de trabalho e as nossas linhas de produção, através do investimento na nossa equipa de inovação e desenvolvimento, e na equipa de engenharia, para preparar a empresa para as inovações tecnológicas que vamos implementar. Temos apostado também, desde meados deste ano, em criar linhas de robotização na fábrica, otimizando os equipamentos que já existiam, para depois numa segunda fase fazermos um investimento em novos equipamentos de robotização”, explica. Com isto, a Galucho pretende melhorar a produtividadeda empresa, produzindo mais rapidamente, mantendo a qualidade. “É também uma necessidade que o mercado impõe, porque nos últimos anos, todos os agentes do mercado têm  tido dificuldade em aceder a mão-de-obra qualificada”.

TRAINING CENTER
Outra das formas de contornar a falta de recursos humanos foi a abertura de um centro de formação próprio nas instalações da Galucho em São João das Lampas, Sintra. “Decidimos apostar na formação profissional, com a criação do Training Center, em 2019, devido à necessidade que temos de mão-de-obra qualificada. Por isso, em parceria com o IEFP, criámosuma escola profissional para serralheiros e soldadores. Este projeto foi pensado, não só para formarmos pessoas para virem integrar os quadros da Galucho, mas também para formação interna dos nossos colaboradores e também para dar formação técnico/comercial à nossa rede comercial, tanto na área de negócio agrícola como dos transportes. Nos transportes, trabalhamos no mercado nacional diretamente com os nossos clientes finais na maioria das vezes, mas, nos mercados de exportação, trabalhamos com distribuidores a quem queremos dar formação, tanto às equipas comerciais, como às equipas de pós-venda, para poderem assegurar a habitual qualidade do serviço da Galucho nesses países” indica Nuno Gama Lobo.

PÓS-VENDA
O pós-venda é uma preocupação cada vez mais presente na Galucho. “Os nossos custos de reparações em garantias em comparação com as vendas são um valor muito baixo e residual. Isto demonstra a qualidade dos nossos equipamentos e a sua capacidade e a robustez. Apesar disso, queremos dar cada vez mais e melhor serviço, no âmbito da nova dinâmica de marca que queremos implementar. E esse serviço engloba as assistências em garantia, mas também as necessárias fora do período da garantia, e ao longo da vida do equipamento. Também pretendemos melhorar o aconselhamento técnico, para que o cliente compre o equipamento mais adequado para as suas necessidades. É esta aposta numa filosofia de serviço global ao cliente que queremos cada vez mais implementar e, para isso, fizemos também algumas mudanças na nossa equipa comercial. No seguimento desta estratégia, a Galucho tem prevista também a abertura, no decorrer do ano de 2021, de uma oficina própria, nas suas instalações, para prestar assistência aos clientes da marca.”

DINAMIZAÇÃO DA MARCA
O objetivo para 2021 em termos de dinamização de marca Galucho “vai ser uma maior proximidade na nossa relação com os nossos clientes, com um foco cada vez maior na qualidade de serviço que queremos prestar aos nossos clientes, tanto no mercado nacional, como também nos mercados de exportação. Temos criado uma nova dinâmica em termos de comunicação, com, por exemplo, com a série especial “Black Edition”, que celebra o nosso centenário e que transmite, em termos de imagem e dinamismo, aquilo que se está a passar na Galucho. Apesar da pandemia, temos mantido a confiança dos nossos clientes e assistido a um crescimento significativo das nossas vendas no mercado nacional de transportes. Por isso, neste momento temos ambição de dinamizar cada vez mais o mercado, com o lançamento de novos produtos já em 2021, onde queremos fazer mais e melhor, mas sempre com a prudência que o momento que vivemos na sociedade nos impõe”, indica Nuno Gama Lobo.

Nuno Gama Lobo
DIRETOR DE OPERAÇÕES, GESTÃO, NEGÓCIOS E FINANÇAS DA GALUCHO
Quais os momentos mais marcantes destes 100 anos?
Houve três momentos importantes: nos anos 50/60, quando a empresa apostou na industrialização da produção a uma escala muito maior do que se fazia até então; o apostar na inovação, com o desenvolvimento de novos produtos e a entrada na área dos transportes; e a dinamização da exportação, nos anos 70/80. Vendemos para mais de 90 países, e um dos objetivos para os próximos anos é o aumento da exportação. Neste momento o foco da exportação na área dos transportes são os mercados de Espanha e França. A exportação representa cerca de 30% do volume de negócios da Galucho, e o objetivo para os próximos anos é de termos um crescimento das exportações que nos permita, sem diminuir as vendas no mercado nacional, uma repartição de 50/50 entre vendas no mercado nacional e nos mercados de exportação.

A Galucho é reconhecida pela durabilidade dos produtos…
A qualidade dos nossos produtos, dos processos de fabrico e do produto final é algo que queremos cada vez mais consolidar. Temos uma equipa de qualidade reforçada, o que nos permite fazer um controlo de qualidade ao longo de todo o processo de fabrico e também uma inspeção final a todos os equipamentos. A partir deste ano, implementámos mais um novo processo interno de Qualidade, que garante uma profunda e criteriosa inspeção final a todos os produtos que produzimos, antes de qualquer produto ser expedido para os clientes.

Que novos equipamentos irão começar a produzir?
Temos duas novas grandes gamas de produto na área dos transportes, mas que ainda estão numa fase embrionária. Além do permanente desenvolvimento interno que vamos fazendo aos nossos produtos, queremos também, através de parcerias, juntar-nos aos melhores players de outros setores para que, em conjunto, possamos desenvolver novos produtos que nos permitam alargar a nossa oferta tradicional.

Artigo publicado na Revista Pós-Venda Pesados n.º 31 de dezembro 2020/janeiro 2021. Consulte aqui a edição.

PALAVRAS-CHAVE